Radicais livres: O que é, o que causam, como surgem, como destruir

Há quarenta anos mais ou menos, pesquisas científicas têm alertado que o alimento influencia as células e contribui para a longevidade ou o envelhecimento precoce, para a saúde ou a doença.

Você come e cada uma das trilhões de células que formam o corpo espera a porção que lhe cabe. Na verdade cada célula só pode receber aquilo que você enviar, células são organismos vivos, inteligentes e possuem memória, preferência, se movimentam e trabalham continuamente.

Cada estrutura do organismo, desde a cabeça à planta dos pés, representa a união das células, o conjunto de organismos vivos inteligentes e com necessidades peculiares. É bem na célula que a vida começa e também termina, isso quer dizer que no corpo a luta pela normalidade acontece segundo após segundo e os guerreiros são as células.

Descobertas recentes da ciência comprovam que cerca de 90% dos recursos de que as células dispõem para garantir saúde, estão atrelados às escolhas que cada pessoa realiza ao longo dos anos, é dessas escolhas que depende a qualidade de vida.

No ambiente celular só deveriam circular substâncias adequadas à vida. Nenhuma partícula tóxica deveria perturbar o ambiente; no entanto, pesquisadores descobriram uma forma tóxica de oxigênio no líquido tanto intra como extracelular. Chamaram essa forma tóxica de oxigênio de radical livre.

Radicais livres - Para que serve

Mas afinal, o que são radicais livres? 

São moléculas de oxigênio incompletas, com falta de elétrons. Para se estabilizar quimicamente, procuram roubar os elétrons que perderam, provocando reações em cadeia, que prejudicam as células.

O que pode ocasionar esse prejuízo?

Diabetes, mal de parkinson, artrite, arteriosclerose, asma, câncer, defeitos congênitos, dores diversas e morte prematura.

Como surgem os radicais livres?

Uns são restos do trabalho do próprio organismo e seriam facilmente destruídos pelas células de defesa. Mas a vida moderna expõe o organismo a muitos poluentes: o fumo, o álcool, as gorduras saturadas, a proteína de origem animal, o estresse, os refrigerantes, os enlatados e o açúcar.

Como destruir os radicais livres?

As pesquisas apontam as plantas como possuidoras das principais armas: vitaminas, minerais e outros elementos  fantásticos e potentes no combate aos radicais livres, os chamados antioxidantes.

Alimentos antioxidantes:

– Acerola, laranja, manga, melão, papaia, morango, limão, kiwi, couve-flor, pimentão, batata – ricos em Vitamina C

– Fígado, batata, carne vermelha, germe de trigo, levedo de cerveja – ricos em Ácido lipóico

– Lecitina de soja, ovos, peixes, couve-flor, amendoim – ricos em Colina

– Damasco, azeite, óleos de germe de trigo, milho, girassol e oliva, leite, batata-doce, abacate, amêndoas – ricos em Vitamina E

– Fígado, leite, ovos, queijo, manteiga, cenoura, espinafre, maracujá, abóbora, acelga, melão – ricos em Vitamina A

– Limão, laranja, lima-da-pérsia, uva, damasco, cereja, ameixa, mamão, pimentão, brócolis – ricos em Bioflavonoides

– Castanha do Pará, cogumelos, ostras, salmão, germe de trigo, granola, carne vermelha, pão integral, leite, ovos, alho, queijo – ricos em

Selênio

– Chá (verde, branco, preto, vermelho), catequinas, bioflavonoides – ricos em Vitamina K

– Fígado de boi, avelã, soja, ostras, cevada, castanha-do-pará – ricos em Cobre

– Soja, acelga, cenoura, algas, inhame, água de coco, abacate – ricos em Potássio

– Ostras, fígado de boi, fava, germe de trigo, iogurte, arroz selvagem – ricos em Zinco

– Farinha de soja, semente de abóbora, acelga, espinafre, broto de alfafa, chá preto, tofu, espinafre, castanha de caju – ricos em Magnésio

– Fígado, ostras, atum, leite, iogurte, queijo, ovos, frango – ricos em Vitamina B12

– Couve-flor, banana, frango, fígado, batata, laranja, ovos – ricos em Vitamina B6

– Semente de girassol, amendoim, abacate, salmão, laranja – ricos em Vitamina B1

– Sardinha, salmão, gema de ovo, fígado, bacalhau, atum – ricos em Vitamina D

– Fígado de galinha, feijão, espinafre, lentilha, grão de bico – ricos em Ácido fólico